Resultados positivos marcam o projeto “Teatro na Escola” da FIEB
14/08/2018 - 14h03

De acordo com o coordenador do projeto, professor Marco Vianna, alunos que integram a iniciativa têm apresentado melhor desenvoltura. “Alguns nem falavam nada”, conta

20180814_teatro_site

No intuito de garantir atividades diversificadas, a FIEB dá continuidade ao projeto “Teatro na Escola”, oferecido aos alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio na unidade Maria Theodora Pedreira de Freitas, em Alphaville. A primeira apresentação com esquetes do grupo ocorreu em 05 de julho, e, na volta às aulas, outros integrantes iniciaram as atividades para desenvolver novos trabalhos. 

O projeto é coordenado pelo professor Marco Vianna, com colaboração do ex-aluno Mauricio Fiori Junior. As aulas práticas acontecem semanalmente, todas as terças-feiras, das 19h às 21:30h, no auditório da unidade. O trabalho promove ações onde os estudantes expressam sentimentos, reações, anseios e necessidades, por meio da realização de dinâmicas de concentração, envolvimento, descontração, leitura e releitura de textos.

Nas oficinas de teatro, além de treinar encenações os participantes têm a oportunidade de trabalhar em atividades diversificadas de aquecimento, postura e imposição de voz, o que incentiva a exercitar valores necessários para uma boa convivência. “É mais didático mesmo, e aí, a gente monta uma peça no final do curso”, complementa o professor Marco Vianna.

Resultados
De acordo com Vianna, o projeto trouxe resultados positivos desde sua implantação. “Eu tinha alunos que entraram e não falavam nada, e agora estão interpretando, outros estão cantando. A evolução é muito grande, inclusive, tenho dois que começaram que disseram que querem ficar desenvoltos para fazer seminários na escola. A proposta é muito boa”, comemora o docente. 

Vianna reforça que seu outro grupo teatral prepara a encenação do musical “Wicked” para o final deste ano, todavia, há intenção de integrar as turmas do projeto para encenar uma versão de “O Mágico de Oz” ou montar uma peça do dramaturgo Martins Penna. “Vamos desenvolver um trabalho com eles, mas vai depender de como funcionar e vamos decidir juntos”, finaliza.