Prova do ENEM 2017 mudou. Fique atento!
17/03/2017 - 12h27

Está se preparando para o Vestibular? Então fique atento, pois o ENEM sofreu mudanças que passarão a valer a partir deste ano.

Na quinta-feira, 9 de março, o Ministério da Educação (MEC) anunciou as mudanças que ocorrerão na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) a partir deste ano.

Parte dessas mudanças foram realizadas com base na consulta pública realizada pelo MEC em janeiro e fevereiro e foram anunciadas em uma coletiva de imprensa com o Ministro da Educação, Mendonça Filho, e a Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), Maria Inês Fini.

Vamos às principais mudanças:

Datas

Este ano a prova do ENEM ocorrerá nos dias 5 e 12 de novembro, dois domingos consecutivos. O edital será publicado no dia 10 de abril. As inscrições poderão ser feitas de 8 a 19 de maio. Os resultados serão divulgados no dia 19 de janeiro de 2018.

Dois domingos

A partir deste ano, a prova do ENEM será aplicada em dois domingos consecutivos (5 e 12/11), diferente de antes, quando era aplicada em um único final de semana. Isso resolve o problema dos sabatistas, que tinham de esperar até as 19h para começar a fazer a prova do sábado.

Ordem das provas

A ordem das provas também foi alterada. No primeiro domingo, 5/11, serão aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação. Os alunos terão 5h30 para sua realização; no segundo domingo, 12/11, serão aplicadas as provas de Matemática e Ciências da Natureza com 4h30 de duração.

Redação

A redação passa a ser aplicada no primeiro dia de prova, diferentemente de antes, quando acontecia no segundo dia.

Caderno de prova personalizado

Embora ainda vá manter o formato de quatro cadernos com cores diferentes, a nova prova do ENEM virá personalizada, já com o nome do candidato e seu número de inscrição impressos na capa, juntamente com os cartões de resposta encartados nela. Segundo o MEC, trata-se de uma medida de segurança.

Sem certificação para o Ensino Médio

O ENEM não servirá mais para certificar o Ensino Médio. Essa função voltará a ser do Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos).

Atendimento especial

As pessoas que necessitam de atendimento especial ou tempo adicional de prova deverão requerer já na inscrição. Antes, essa solicitação era feita no momento da prova mediante comprovação médica.

Isenção de taxa

Os candidatos que solicitarem isenção da taxa de inscrição deverão ter cadastro no CadÚnico – banco de dados do Governo Federal. Antes, a isenção era concedida via autodeclaração de baixa renda, mas agora a veracidade dessas informações será conferida junto ao CadÚnico e caso não sejam comprovadas, terão o pedido negado.

Ausência injustificada

Se o candidato que tiver isenção de taxa não comparecer à prova, só poderá solicitar isenção no próximo ano se apresentar documento oficial ou atestado médico que justifique a falta.

Fim da nota por escola

O MEC não mais divulgará as notas e o desempenho do ENEM por escola, já que este dado estava sendo utilizado indevidamente pelas instituições educacionais como um avaliador escolar.

A consulta pública realizada pelo MEC consistiu de três perguntas sobre a aplicação do exame. Mais de 600 mil pessoas votaram. Segundo o Ministro da Educação, “a esmagadora maioria” (70% dos participantes) optou pela permanência das provas em papel e presencial, ao invés da opção computadorizada. A manutenção do ENEM em dois dias foi escolhida por 63% dos votantes, no lugar de uma prova reduzida a 100 questões e aplicada em apenas um dia. Os dois domingos consecutivos no lugar do tradicional sábado e domingo foi a escolha de 42% dos participantes.