Expotec 2018 atrai mais de 14 mil visitantes em três dias
10/09/2018 - 14h06

Feira de cursos técnicos e profissões ocorreu entre 30 de agosto a 01 de setembro

20180910_expotec_site

Um sucesso! Assim pode ser definida a segunda edição da Expotec, que reforça o título de maior feira de cursos técnicos e profissões da Região Oeste da Grande São Paulo. O evento promovido pela FIEB teve como cenário o tradicional Ginásio José Corrêa e atraiu mais de 14 mil visitantes entre os dias 30 de agosto a 01 de setembro. Por lá, além de alunos, também compareceram pais e curiosos, todos empolgados para saber o que é desenvolvido nos 23 cursos ofertados pela FIEB. 

Quem também passou pela Expotec foi o prefeito Rubens Furlan. Com entusiasmo, ele afirmou ter se impressionado com a estrutura do evento. Furlan visitou vários estandes, conversou com alunos e até deu dicas sobre algumas áreas, como Edificações e Logística. “Eu vim para ficar de 10 a 15 minutos, mas eu estou aqui há mais de três horas e encantando com tudo que vi. Os alunos do ITB vão dar certo. Todos vão ajudar a construir o Brasil dos nossos sonhos”, declarou o chefe do poder executivo. 

Tirando as dúvidas

Estudante do curso técnico de Edificações, Nicolle Andrade foi uma das expositoras a destacar a necessidade da feira. “Tem muita gente no 9º ano que está com dúvidas dos cursos que quer seguir. Quando você fala para a pessoa, ela fica feliz já sabendo o que vai fazer. Eu queria que na minha vez eu tivesse vindo e conhecido um pouco mais. Se eu tivesse vindo na Expotec, teria tido uma noção maior, mas não me arrependo do meu curso. Acho que esse é o principal benefício da feira”, avalia. 

Diferenciais

O principal diferencial da edição 2018 foi a ampliação da infraestrutura. Com a realização da Expotec no Ginásio José Corrêa, além de disponibilizar 26 estandes, foi possível oferecer espaços para parceiros do evento, palco com atrações culturais, praça de alimentação, salas para Hackathon e demonstrações de procedimentos de segurança. Também foi reservado um local para palestras. No total, foram 17 convidados para 22 palestras, que abordavam desde o Empreendedorismo, Mercado de Trabalho, Voluntariado, Economia, Marketing Pessoal, Influência Digital, entre outros tópicos.

Contudo, a interação com o público foi uma experiência nova para muitos dos estudantes que integravam os estandes do evento, como relata Anna Beatriz Martins Pereira, aluna de Finanças. “O pessoal está vindo com dúvidas e é bem legal porque muitas pessoas não sabem qual curso vai fazer, até mesmo os pais perguntam e a gente esclarece. Veio um rapaz e ele queria saber sobre investimento, sobre moedas e o curso em si e saiu contente. Aqui a gente aprende muita coisa, inclusive coisas de outros cursos”, acrescentou.

Mas a Expotec também foi um espaço destinado às famílias. Acompanhado de sua esposa Miriam e de seu filho Vinícius, Patricio Carjaval elogiou a iniciativa da FIEB. “Estou achando muito bacana principalmente porque na idade deles, eles têm bastante dúvidas e isso é esclarecedor porque vai de ponto a ponto em cada uma das profissões que eles poderiam gostar. A feira está muito bem-feita”, frisou. 

Atrações culturais

Já o palco montado em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo de Barueri, agitou os visitantes nos três dias de Expotec com atrações variadas. A abertura ficou por conta da cantora Karina Jones, de apenas 22 anos, que prepara para lançar seu primeiro single em outubro. No mesmo dia, o público teve a oportunidade de conferir o Sarau de Vinícius de Moraes, que contou a vida e obra do poeta precursor da Bossa Nova. 

No dia 31, a Banda da Cultura, formada por professores dos cursos livres de música da Secretaria de Cultura e Turismo, ofereceu um repertoria variado com canções de estilos variados como Samba, Pop e MPB. No último dia, o palco contou com três atrações. A primeira delas, uma aula de ritmos com o dançarino Inri Fernandes. Em seguida, a pianista Margareth Mingattos comoveu o público ao executar clássicos e obras populares da música brasileira. Por fim, a Orquestra de Sopros, composta por um grupo de alunos do Núcleo de música da pasta, interpretou obras clássicas e populares.