Em 2017, ITB Belval torna-se polo de Iniciação Científica da OBMEP
19/05/2017 - 08h22

ITB do Belval é a única escola da Zona Oeste da Grande São Paulo a torna-se polo do PIC, atuando em parceria com a Universidade de São Paulo (USP)

O desempenho dos alunos da Fundação Instituto de Educação de Barueri (FIEB) nas olimpíadas do conhecimento crescem a cada ano, especialmente na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP): a maior competição estudantil do mundo.

No ITB Brasílio Flores de Azevedo, do Jardim Belval, a participação dos alunos é sempre muito forte, com a conquista de muitas medalhas e também prêmios por parte do corpo docente todos os anos. Devido a isso, este ano a unidade escolar foi escolhida para ser um polo do Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC) da OBMEP.

O ITB do Belval é a única escola da Zona Oeste da Grande São Paulo a tornar-se polo do PIC, atuando em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

A professora de Matemática e responsável pelo Programa no ITB, Cláudia Chaves, explica que ter a escola escolhida para desempenhar tal papel é muito importante, pois, além de trazer notoriedade, é um título concedido apenas a instituições de ensino que atendem às exigências do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA).

“É preciso que a escola apresente potenciais, como trabalhos anteriores com notório reconhecimento, como ocorreu na OBMEP em 2016, e número expressivo de premiações da OBMEP em edições anteriores“, explica a professora Cláudia.

Atualmente, estão 62 estudantes do Ensino Fundamental 2 e do Ensino Médio no PIC, dentre eles alunos de vários ITBs. As aulas acontecem aos sábados, pela manhã. O Programa oferece uma ajuda de custo no valor R$100,00 aos jovens medalhistas do ano passado, concedida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Segundo Cláudia, “essas aulas consistem no estudo de habilidades e competências matemáticas de modo aprofundado para reforçar e despertar a vocação científica do aluno”.

Para o Superintendente da FIEB, Luiz Antonio Ribeiro, essa conquista do ITB não o surpreende porque a unidade do Belval é “um marco histórico”. “Se eu dissesse que é uma surpresa é mentira, porque quem conhece aquele lugar, o que desenvolvem ali, tem certeza que só pode dar bons frutos e surgir projetos de grande relevância”, declara Luiz. E completa: “parabenizo a equipe do Belval, ali é um centro de excelência, é um polo de desenvolvimento que ainda vai servir de muita referência na história da FIEB porque os nossos projetos pra lá se tornam mais sustentados, mais veementes com essa premiação”.

O PIC é destinado somente aos alunos medalhistas da OBMEP em anos anteriores e tem como objetivo principal despertar o gosto pela Matemática e pela ciência em geral e motivá-los na escolha profissional pelas carreiras científicas e tecnológicas, conforme descreve a própria organização da Olimpíada.