Debate da UAB – Polo Barueri aborda necessidade da educação inclusiva
13/12/2017 - 08h27

Atividade foi promovida pelo curso de Especialização em Práticas Pedagógicos da UAB – Polo Barueri. Entre os assuntos abordados estava o desafio e cuidados às crianças com deficiências

Para aprofundar nas práticas pedagógicas da educação inclusiva, foi promovida uma Roda de Conversa sobre o assunto no auditório da FIEB, unidade Maria Theodora na manhã de sábado, 02 de dezembro. O evento foi uma atividade do curso de Especialização em Práticas Pedagógicos disponibilizado pela Universidade Aberta do Brasil (UAB). A organização ficou a cargo dos próprios alunos com coordenação do professor Adilson Pereira dos Santos, da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), entidade responsável por ofertar o curso.

A troca de experiências não foi destinada somente a alunos do curso, e também estava aberta a profissionais da área de saúde escolar. “Na disciplina fizemos várias reflexões sobre a temática. Sugeri essa roda com o objetivo de proporcionar aos estudantes a oportunidade de confrontarem o que refletimos teoricamente com a prática da educação especial na perspectiva inclusiva nos municípios onde o curso foi oferecido” conta o professor Adilson. “A atividade em Barueri foi um sucesso e voltei para a UFOP muito bem impressionado com a política municipal nessa área. O município está bem avançado”, completou.

O evento também trouxe o depoimento de três outras personalidades. A primeira foi Fernanda Ferreira de Oliveira, Fisioterapeuta e mãe de aluno com deficiência. Hoje, ela luta para garantir que os direitos do filho sejam cumpridos e respeitados. Outra convidada que contribuiu foi Amanda Marchioreto, professora de Sociologia, Psicopedagoga e mãe de um menino autista. Ela expôs seu trabalho como educadora e suas experiências como mãe.

Com riqueza de detalhes, Amanda mostrou as dificuldades de comunicação enfrentadas pelos autistas, bem como orientou os participantes como implementar ações adequadas para garantir plena inclusão. A docente é mantenedora da página “Autismo e Maternidade Fênix” no Facebook, que traz orientações para mães de crianças especiais e divulgação de eventos a respeito do assunto.

A terceira convidada foi Liliane Burin, supervisora do Departamento Educacional Especializado da Secretaria de Educação de Barueri. Na ocasião, ela detalhou sobre a estrutura do departamento. Conforme os dados passados, a cidade tem 1121 crianças com deficiência na rede pública municipal e conta com profissionais que atuam diretamente nas escolas. Entre eles estão especialistas do Atendimento Educacional Especializado (AEE), professores mediadores, agentes de inclusão, psicopedagogo, cuidadores e instrutores de Libras.

Em outro ponto, Liliane alertou sobre a legislação do acompanhante especializado na escola para a pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). “Em casos de comprovada necessidade, a pessoa com transtorno incluída nas classes comuns de ensino regular terá direito a acompanhante especializado”, informou.

Sobre a UAB

A Universidade Aberta do Brasil é um sistema integrado por universidades públicas, que oferece cursos de nível superior para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária, por meio do uso da metodologia da educação a distância. Prioritariamente, os professores que atuam na educação básica da rede pública são atendidos, seguidos dos dirigentes, gestores e trabalhadores em educação básica dos estados, municípios e do Distrito Federal.

A UAB – Polo Barueri fica na Avenida Andrômeda, 500, 1°andar, nas dependências da FIEB e conta com uma infraestrutura completa para atender quem precisa e professores de plantão para tirar dúvidas.