Cursos do ITB “são referências”, relata o primeiro aluno da FIEB
31/01/2018 - 09h45

Pedro Domingues da Silva, de 56 anos, foi o primeiro matriculado da fundação em 1992. Suas filhas também já passaram pela FIEB – ITB e aposta que os netos também trilharão o mesmo caminho nos estudos

Criada em 1994, quando assumiu o controle do primeiro Instituto Técnico de Barueri (ITB), a Fundação Instituto de Educação de Barueri (FIEB) completa 24 anos de existência em 2018. No decorrer de sua história, milhares de estudantes passaram pelas unidades da entidade que foram construídas, porém, você já se perguntou quem teria sido o primeiro aluno matriculado? Trata-se de Pedro Domingues da Silva, de 56 anos, que não só ainda reside na cidade – e demonstra muito orgulho por isso – mas também atua como Guarda Municipal na prefeitura de Barueri.

Pedro cursou Eletroeletrônica na unidade Brasílio Flores de Azevedo, no Jardim Belval logo após sua inauguração em 1992. Em suas memórias a respeito daquele período, ele lembra que a administração começou a investir forte na qualidade de ensino combinada com a especialização técnica para garantir aos estudantes o ingresso no mercado de trabalho. “Foi aí que lançou a FIEB, visando a melhoria do morador de Barueri. Tomei ciência do curso do ITB com o curso de Eletrônica, que é uma área que simpatizo, e fiz minha inscrição. Prestei a prova e, coincidentemente, quando saiu o resultado, fui um dos aprovados. Fui agraciado de ser o primeiro a me inscrever no ITB e acabei me tornando o aluno número um por isso”, explica.

Pai de duas filhas e uma enteada, a família de Pedro cresce a cada dia, e já conta com três netos. Ele aposta que a nova geração irá trilhar o mesmo caminho que o avô e as mães. Enquanto a enteada optou pelo curso de Informática, a filha mais velha concluiu Edificações. “Na cidade temos uma gama de ensino muito boa, mas o curso técnico é referência, não só traz o conhecimento didático, como também abre portas profissionais. Dentro de casa eu falo que o curso técnico é interessante no ITB, porque o ensino foi se solidificando, além de ser respeitado como uma entidade de ensino não apenas em Barueri. A partir daí, cada um escolheu seu curso”, reforça.

Embora não tenha concluído o curso de Eletrônica, Pedro decidiu migrar para a área de Segurança, onde permanece até hoje. Todavia, ele admite retomar o estudo iniciado na FIEB - ITB. “Eu me formei em Gestão de Segurança, mas tenho vontade de continuar [o curso de Eletrônica]. Ensino é fundamental. Minha vida teve muito significado por eu ter alguns cursos, só na área de segurança tenho 40 específicos. Estudar faz um diferencial. Muitas vezes algo que se aprendeu hoje vai ser muito importante no futuro”, atesta.

Questionado se o conhecimento adquirido no período em que estudou na FIEB – ITB foi importante para a função que exerce hoje como GCM, Pedro relata alguns casos curiosos do cotidiano. “Os que atuam na Segurança Pública acabam sendo um ‘faz tudo’. Patrulhando recentemente, eu e meu parceiro nos deparamos com um carro parado e formos ver o que estava acontecendo. Com um canivete, colocamos o carro da senhora para funcionar, então, conhecimento técnico adquirido no ITB ajudou nisso. A gente não só prende as pessoas, mas também ajuda em várias circunstâncias”, explica o ex-aluno.