Alunos da FMB conhecem estrutura da IBM, em Hortolândia
14/06/2017 - 11h58

A era da inteligência artificial pode ser observada de dentro pelos alunos em visita à gigante de tecnologia

A gigantesca estrutura da sede da IBM no Brasil, localizada em Hortolândia, no interior de São Paulo, foi palco de um aprendizado e tanto aos alunos do curso de Redes de Computadores da Faculdade Municipal de Barueri (FMB), mantida pela Fundação Instituto de Educação de Barueri (FIEB). 

Cerca de 40 estudantes participaram da saída técnica, que ocorreu no dia 2 de junho de 2017. Lá, muito bem recebidos, foram conduzidos pela Coordenadora de Eventos Geisa Sabrina da Cunha, que prendeu a atenção dos alunos do começo ao fim da visita. 

Geisa apresentou a IBM em números, falou bastante sobre as soluções cognitivas, que têm sido o maior foco da empresa atualmente. Segundo ela, tudo o que fazem hoje tem que ter alguma ligação com inteligência artificial, apresentando o famoso IBM Watson: sistema cognitivo que possibilita uma nova parceria entre pessoas e computadores.

Ela também falou da IBM no Brasil, que em 2017 está completando 100 anos. Na foto que ilustra a chegada dos executivos da empresa no País, Geisa destacou a presença de três mulheres: um grande avanço para a época e que até hoje é ponto de honra lá dentro, com grandes incentivos para a atuação feminina no universo tecnológico. 

Vendo diversos recursos funcionando na prática, principalmente as soluções cognitivas, os alunos tiveram um panorama amplo do quanto os dados são importantes no mundo atual. “A maior vantagem competitiva de uma empresa hoje são os dados dela”, disse Geisa.  Condensar esses dados e transformá-los em informações é, segundo a Coordenadora, o maior desafio das organizações de tecnologia.

Conhecendo um gigante de perto

A unidade de Hortolândia possui um datacenter que tem 5.800m², sonho de consumo de qualquer estudante de tecnologia. Apesar da burocracia para poder acessá-lo, os alunos foram levados até sua entrada, onde puderam ver um pouco da magnitude do equipamento. 

Para a professora Rosineide Ap. de Lira Volgarin, que acompanhou a visita, um dos pontos também levantados na ocasião e que deve ser cuidadosamente observado é a exposição nas mídias sociais e a forma como todos nos comportamos diante da internet.

“Eu já sabia que a análise do perfil dos usuários nas redes sociais já era muito utilizado por algumas empresas nas contratações. O que eu não tinha ideia é que isso já é feito de forma sistemática e por um mecanismo com a capacidade do Watson. Sendo assim, não se trata mais da forma como eu vejo, mas sim como os sistemas cognitivos estão ‘aprendendo’ a estruturar esses dados”, alerta a professora. E completa: “o desafio de tornar esses dados desestruturados em informações estruturadas está sendo vencido e esses ‘big datas’ - extremamente poderosos - nortearão a tomada de muitas decisões no futuro, inclusive essa”.

O aluno do 3º semestre, Alexandre Ferreira dos Santos, acha que visitas como essa deveriam acontecer sempre. “Eu achei muito interessante porque teve conteúdo que eu não conhecia e acabei aprendendo bastante coisa”, afirma. Segundo ele, ver de perto empresas desse porte faz com que o estudante perceba que é possível construir uma carreira lá dentro. 

Essa fala endossa as intenções expostas pelo Coordenador do curso, Prof. Leandro Ap. Nunes da Cruz. “Eu acredito que experiências desse tipo servem não só para que eles possam conhecer o mercado, como também servem de motivação para que eles saibam do que se trata aquilo que estão vendo em sala de aula”, explica.

Para Leandro, outra vantagem é fazer o aluno a se enxergar naquela posição. “Uma visita técnica permite que o aluno tenha esperança e consiga perceber que aquilo não está tão longe dele. Ele vê funcionários e se vê naquela posição, vê que o que ele imagina não é tão difícil de conseguir”, incentiva.

Também recepcionou os alunos a Recrutadora Michele Fray, que falou sobre o programa de estágios da empresa, exigências mínimas para contratação e sobre a unidade que eles mantêm em Barueri. Michele se disponibilizou para atender aos interessados em vagas, respondeu dúvidas e deixou seu contato.