5ª OBFEP divulga resultados: FIEB tem 5 alunos premiados
22/03/2017 - 09h44

Todos os alunos de Barueri que conquistaram medalhas são da FIEB. Duas de prata e três de bronze compõem o quadro de honrarias

Os organizadores da 5ª edição da Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP) publicaram, no dia 11 de março, os resultados finais da competição realizada ao longo de 2016. Cinco alunos da FIEB estão entre os premiados.

Duas medalhas de prata e três de bronze foram conquistadas. Todos os alunos de Barueri premiados na conceiturada Olimpíada são de unidades da FIEB.

Samuel dos Santos Amancio, do ITB Brasilio Flores de Azevedo, e Gabriel Boaventura Scholl, da EEFMT Profª Maria Theodora Pedreira de Freitas, conquistaram medalhas de prata. Já as medalhas de bronze foram para Daniel Maringelli Pasqui, do ITB Profª. Maria Sylvia Chaluppe Mello, Diogo Lacerda Mangueira, do ITB Prof. Moacyr Domingos Sávio Veronezi, e Thales Campos Vilela, do ITB Prof. Munir José.

A 1ª fase da OBFEP foi aplicada em agosto de 2016; a 2ª fase, em novembro. A Olimpíada é destinada a estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental até o último ano do Ensino Médio de todo o Brasil. A cerimônia oficial de premiação será agendada a partir de abril pela Sociedade Brasileira de Física (SBF).

Para o professor de Física e Coordenador da área de Ciências da Natureza do ITB do Jd. Belval, Luiz Henrique Bercê, a participação dos alunos nessas olimpíadas é importate porque “desperta o interesse deles pela disciplina e, muitas vezes, pela pesquisa, porque acaba definindo a área que ele vai ingressar na faculdade”.

O vestibular é outra área que ganha com as olimpíadas científicas, segundo Bercê. “Esse estudo que ele faz vai ter um reflexo no vestibular, além de valorizar o currículo do aluno”, destaca.

Colecionando medalhas

Para Gabriel Scholl, aluno da 3ª série do Ensino Médio na Maria Theodora e medalhista de prata nesta edição, participar das olimpíadas do conhecimento é importante para testar seu nível de preparo nas áreas relacionadas, além de ser um importante reforço para o vestibular. “Muitas vezes a gente faz a olimpíada para testar nosso nível e quando vem uma medalha dessas fica muito contente”, declara.

“Se você estuda o que tem na grade curricular mesmo, você consegue passar. Claro que se preparar, se estudar, a chance de ir bem é sempre maior”, aconselha o medalhista.

Gabriel sabe o que diz, já que coleciona medalhas dessas competições científicas. Ganhou ouro e prata na Olimpíada Brasileira de Física (OBF) do ano passado, nas modalidades estadual e nacional; além disso, também acumula duas de ouro e duas de prata na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), além de bronze na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA).

Na OBMEP de 2011, o jovem ganhou destaque por ser um dos jovens premiados com ouro que receberam a honraria diretamente das mãos da Presidente da República à época, Dilma Roussef.

Sobre a OBFEP

A OBFEP é um programa permanente da Sociedade Brasileira de Física (SBF), responsável por sua aplicação, promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) através do CNPq. A Olimpíada teve início em 2010, mas só a partir de 2012 passou a contemplar todo o território nacional.